Consulta Multidisciplinar de Dermite Atópica certificada internacionalmente

Para responder às necessidades assistenciais dos doentes que sofrem com formas moderadas e graves de dermite atópica, o Centro de Responsabilidade Integrado de Dermato-venereologia (CRIDV) do CHULC- Hospital de Santo António dos Capuchos desenvolveu uma consulta de elevada diferenciação – a Consulta Multidisciplinar de Dermite Atópica, que integra duas avaliações consecutivas, protocoladas: uma avaliação por um enfermeiro e, posteriormente, por um dermatologista, ambos com interesse e formação específica no cuidado e tratamento destes doentes. Nessa consulta é oferecida avaliação e tratamento dirigido a cada caso, estando disponível uma variedade de alternativas terapêuticas convencionais e inovadoras para responder à complexidade da doença.

Esta consulta cumpre rigorosos critérios de qualidade internacionalmente validados, sendo a primeira consulta de dermite atópica em Portugal certificada como centro de excelência e referência pela Global Allergy and Asthma European Network (GA²LEN) ADCARE initiative. A consulta decorre às segundas-feiras, das 8h00 às 13h00, no CHULC-HSAC. Os doentes podem ter acesso mediante referenciação do seu médico de família ou de qualquer médico do sistema de saúde, público ou privado, que considere haver indicação para este nível de cuidados.

A dermite atópica, cujo Dia Internacional se assinalou a 14 de setembro, é uma das doenças inflamatórias crónicas de pele mais frequentes, afetando cerca de 20% das crianças e 7% dos adultos.

Esta é uma doença física e emocionalmente debilitante para doentes e familiares, sendo causa de exclusão e absentismo social, laboral e escolar, noites mal dormidas, prejuízo do desempenho escolar e profissional e gastos económicos avultados em tratamentos e consultas. Ainda assim, é demasiadas vezes desvalorizada como “só uma doença de pele” o que em nada ajuda o sofrimento daqueles que dela padecem.

Num trabalho da jornalista Helena Neves, a agência Lusa fez referência, a 14 de setembro, à consulta do CHULC-HSAC, salientando declarações da dermatologista Maria João Lopes, responsável do CRIDV: “Os doentes com dermite atópica grave têm agora acesso a tratamentos inovadores apenas disponíveis no Serviço Nacional de Saúde, o que está a levar os privados a encaminharem os doentes para o SNS”.

Pode ler a notícia seguindo os links: https://rr.sapo.pt/noticia/pais/2022/09/14/doentes-com-dermatite-atopica-grave-com-tratamentos-inovadores-apenas-no-sns/299755/ e https://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/doentes-com-dermatite-atopica-grave-com-tratamentos-inovadores-apenas-no-sns

 

Partilhar: