CHULC estreia em Portugal implantação de próteses biológicas em doentes cardíacos graves

O CHULC realizou pela primeira vez em Portugal um procedimento inovador na área da cardiologia que consiste na colocação por cateterismo de duas próteses biológicas que se implantam na união das veias cavas superior e inferior com a aurícula direita em pacientes com insuficiência cardíaca por regurgitação tricúspide grave com elevado risco cirúrgico ou considerados inoperáveis.

A intervenção pouco invasiva com dispositivos TricValve aconteceu pela primeira vez a 5 de março, no laboratório de Hemodinâmica do polo Hospital de Santa Marta, tendo sido dirigida por Duarte Cacela e logo em dois doentes de faixas etárias distintas. Foi seguida pela RTP, tendo daí resultado uma reportagem emitida a 21 deste mês.

A válvula tricúspide é referida no meio cardiológico como a “válvula esquecida”, não sendo alvo das mesmas inovações tecnológicas disponibilizadas às válvulas aórtica e mitral. A sua insuficiência é uma patologia comum em doentes com doença cardíaca valvular mitral e/ou aórtica e está associada de forma independente a uma elevada taxa de mortalidade. A maioria dos doentes com regurgitação significativa da válvula tricúspide é tratada com medicamentos, apenas cerca de 0,5% são submetidos a reparação e menos ainda a substituição valvular. Com o procedimento agora introduzido, a capacidade de tratar este tipo de pacientes ganha novos horizontes.

Clique aqui para ver a reportagem emitida na RTP – “Santa Marta. Médicos implantam válvulas em coração de paciente, através da perna”.

 

Partilhar: