O hospital encontra-se instalado no centro de Lisboa, no antigo Campo do Curral, actualmente Campo de Sant’Ana.

O edifício principal do hospital resulta de várias transformações que sofreu o antigo Convento de Santo António dos Capuchos inaugurado em 1579 e entregue aos Padres Recoletos da Custódia de Santo António. Este convento, que foi parcialmente destruído pelo terramoto de 1755, sofreu várias transformações ao longo dos séculos. Em 1836, a rainha D. Maria II fundou nas suas instalações o Asilo de Mendicidade de Lisboa. O espaço ocupado pelo Asilo foi aumentado à conta da construção de vários pavilhões e pela compra, em 1854, do Palácio dos Condes de Murça, datado do século XVII.

Esta evolução histórica da estrutura física do hospital justifica a dispersão dos diversos serviços por vários edifícios. Tal facto levou a que o Hospital tenha crescido condicionado pela gestão dos espaços físicos existentes, alguns dos quais considerados património nacional.

O Hospital foi oficialmente criado em 1928 possuindo 9 serviços clínicos à data da sua criação.

Ao longo dos anos várias foram as alterações realizadas de forma a podê-lo adaptar às necessidades de uma medicina mais moderna.

Dotado de um riquíssimo património azulejar em especial na parte correspondente ao antigo Palácio. É ainda neste hospital que se encontra uma dos mais antigos relógios de sol existentes em Portugal.

Foi também neste hospital que em 1930 foi inaugurada a escola de enfermagem  Artur Ravara, que até então funcionava no Hospital de São Lázaro.

O hospital detem valências únicas no Centro como o caso da Dermatologia, Gastrenterologia, Hematologia, Neurologia e Oncologia que constituíram todas elas unidades pioneiras no país ao nível das respectivas especialidades.