Em 2017, o GCCT realizou 95 colheitas de órgãos em dador falecido em morte cerebral. No total, foram colhidos 247 órgãos e 333 tecidos.

O ano de 2017 representou ainda, para o CHLC a realização da primeira colheita em dador falecido em paragem cardiocirculatória, após o alargamento do programa, em outubro passado, ao CHLC e ao Centro Hospitalar de Lisboa Norte.

Já a colheita de córneas em dador em coração parado atingiu, no ano passado, as 79.

Nas unidades de transplantação que articulam com o GCCT do Hospital S. José – CHLC o destaque vai, pelo segundo ano consecutivo, para o aumento da atividade de transplantação de pulmões, na unidade do Polo Hospital Stª Marta.