A condecoração, que foi entregue aquela unidade, visa reconhecer o trabalho de uma vasta equipa multidisciplinar constituída por profissionais de especialidades de Cuidados Intensivos, Ginecologia e Obstetrícia, Endocrinologia, Farmácia, Laboratoriais, de Imagem e Neonatologia que permitiram levar a cabo com sucesso o nascimento do Bebé Lourenço, que já fez um ano de idade.
Na ocasião, o Presidente da República sublinhou que o bebé Lourenço “é um exemplo feliz do êxito desse esforço de equipa” e entendeu “que não podia faltar à chamada, tinha de ter este gesto simbólico”.
Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda o papel do Serviço Nacional de Saúde:  “podem contar com o SNS, com agravos, com limitações, mais ou menos protestos, mas na hora em que é preciso está lá e pode contar-se com ele” e com as instituições que o constituem.
Na ocasião, o Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, elogiou o trabalho efectuado pelos profissionais agraciados, dizendo que “existimos para servir os portugueses, para lhes dar confiança, para que não acordem de manhã sobressaltados com a ideia de que têm um sistema de saúde instável, um SNS tomado por atitudes irresponsáveis”. E acrescentou “os portugueses viveram este ano com emoção, com paixão, percebendo que nós existimos apenas e só para um objectivo: fazer a vida ter valor e dar valor à vida”.
Por seu turno, a Presidente do Conselho de Administração do CHLC, Ana Escoval, frisou que o trabalho de equipa agora homenageado é um “um exemplo que gostaríamos de sublinhar, replicar e fazer dele o modelo de abordagem clínica que todos nós queremos nos nossos atuais polos hospitalares e no nosso futuro hospital”.
No final da cerimónia, o presidente da República visitou a Unidade de Neurocríticos, a Neurocirurgia e a Neuroradiologia, tendo sido cumprimentado pelos muitos profissionais que encontrou no percurso.