O novo Hospital de Lisboa, que avançará em regime de parceria público-privada (PPP) para a construção e deverá estar pronto a funcionar em 2023, vai representar para o operador privado um investimento total de cerca de 300 milhões de euros e, para o Estado, uma renda anual de 16 milhões de euros durante 27 anos. Este valor, que começa a ser pago logo após a entrega dos edifícios, cobrirá igualmente as despesas de manutenção.

A esta parcela, adiantou o secretário de Estado, soma-se um investimento de cerca de 100 milhões de euros em equipamentos pesados e não-pesados destinados ao funcionamento de um hospital polivalente e com vertente universitária. A gestão clínica será herdeira da atual estrutura do CHLC.

A presidente do CHLC, Ana Escoval, descreveu na sua intervenção as ineficiências que resultam da dispersão do Centro Hospitalar em seis unidades muito antigas e com custos de manutenção elevados. Para Manuel Delgado, o novo hospital vai permitir poupar pelo menos os 68 milhões de euros que a atual ineficiência implica por ano.

O terceiro orador da apresentação pública, Vitor Almeida, coordenador da equipa que está a preparar a PPP, a Unidade Técnica de Acompanhamento de Projetos, referiu que o calendário desta operação prevê o lançamento do concurso ainda este ano. Os concorrentes têm "seis meses para apresentarem as suas propostas". "Até maio de 2019" o júri vai avaliá-las e "a assinatura do contrato poderá ocorrer em novembro" seguinte.

O novo hospital terá uma capacidade mínima de 875 camas, ocupando mais de 130 mil metros quadrados. Em caso de necessidade, o total máximo de camas pode chegar às 1300, número que compreende a capacidade do hospital de proximidade que ficará instalado no que é hoje o Hospital de São José.

A nova infraestrutura (três edifícios que "não deverão passar dos quatro andares à superfície", com "2.945 lugares de estacionamento, dos quais 1.450 subterrâneos"), vai conter todas as valências existentes nas seis unidades que compõem o CHLC e ganhará ainda outras especialidades terapêuticas ao nível da oncologia, por exemplo.